Fluido R-32, o menor impacto ambiental

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Daikin é a única fabricante de equipamentos de ar condicionado que também é fabricante de fluidos refrigerantes.

Ainda recente, em 2012, a Daikin lançou um condicionador que utiliza o fluido refrigerante HFC-32 ou simplesmente R-32. O “Urusara 7” foi o primeiro Split do mundo a ser desenvolvido com o fluido refrigerante R-32.

Mas o que vem a ser o R-32?
Trata-se de uma nova classe de fluido refrigerante que desperta grande interesse na indústria mundial pelo seu notável e baixo impacto ambiental. O R-32 é um fluido refrigerante HFC puro, e assim é utilizado em condicionadores pequenos, também é usado como componente em misturas de HFC.

Comparado aos fluidos refrigerantes atuais, como R-22 e R-410A, ele fornece um baixo potencial de aquecimento global (G.W.P.) e nenhum potencial de deterioração da camada de ozônio (O.D.P.). O R-32 é ligeiramente inflamável.

Podemos notar pela tabela abaixo que o R-32 oferece apenas 1/3 do G.W.P. do R-410A, e quase a mesma proporção em relação ao R-22.

Sabe-se que as propriedades termodinâmicas e físicas de um fluido refrigerante influenciam diretamente no sistema e no compressor.

Apenas para citar 2 dessas propriedades:

– A pressão de saturação do R-32 é semelhante à do R-410A, isso facilita o desenvolvimento de um sistema com base no R-410A.

– O R-32 tem uma densidade muito menor que a do R-410A, assim a quantidade de fluido dentro do sistema (split) é menor e como o GWP é medido em Kg, o impacto climático do R-32 no sistema é ainda menor do que o sugerido pelo GWP.

Porque a Daikin escolheu o R-32?
A Daikin foi a primeira empresa do mundo a conseguir usar o R-32 em condicionadores de ar, para isso fez valer sua experiência como único fabricante de equipamentos que também desenvolve e fabrica fluidos refrigerantes.

Antes de eleger o R-32 para seus condicionadores a Daikin analisou vários fluidos e 4 critérios foram levados em consideração:

1. Impacto ambiental: Como dissemos acima, o R-32 tem ODP zero e 1/3 do GWP dos refrigerantes R22 e R410A.

2. Eficiência energética: A eficiência do R-32 pode chegar a 1,5 vezes maior que o do R-410A ou R-22. Este potencial é medido por um fator chamado de “desempenho sazonal de resfriamento” (CSPF). O pico de consumo de energia do R-32 também é menor.

3. Segurança e Inflamabilidade: Segundo a ISO 817/2014, o R-32 é de baixa inflamabilidade e baixa toxicidade.

4. Relação custo-eficácia: Para selecionar refrigerantes econômicos e eficazes, algumas perguntas têm de ser feitas, o R-32 foi bem no teste.

– O refrigerante é relativamente barato e fácil de manter?
– Ele contribui para reduzir custos gerais de operação e manutenção do sistema?
– A reciclagem é viável e relativamente barata?

Como se nota, o R-32 foi bem escolhido pela Daikin.

E não é só isso, além de fabricar e vender o R-32 a Daikin presta assistência técnica a governos e organizações internacionais com intuito de treinar equipes para o manuseio adequado do R-32, dentre outras atividades que estão se desenvolvendo.

Bom pessoal, o assunto é extenso e interessante, acho que já deu para se ter uma boa ideia do que vem por aí com o R-32. Voltaremos a abordar o assunto em outros artigos.

Bem vindo ao Serviço de Atendimento do Cliente Projetar
Fale conosco através do nosso formulário ou entre em contato através dos contatos

Orçamento

Deixe  os seus dados que nós entramos em contato