Ar condicionado com gás natural pode reduzir em até 99% o consumo de energia elétrica

A utilização de sistemas de ar condicionado movido a gás natural pode representar uma redução no consumo de energia elétrica entre 91% e 99% entre diversas outras vantagens. Este foi o destaque principal do Seminário Sulgás VRF movido à Gás Natural, realizado na quinta-feira (19;11), na sede da ASBRAV – Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento e Ventilação, em Porto Alegre.

Com palestras de especialistas sobre o tema, o evento mostrou o conceito e a aplicação dos equipamentos de condicionamento de ar do tipo VRF movido a gás natural. Foram tratados assuntos como os tipos de equipamentos disponíveis no mercado brasileiro, as aplicações indicadas para o sistema, vantagens e desvantagens da sua utilização, eficiência energética, impacto ambiental, relação custo benefício da aplicação e retorno do investimento.

Os painelistas pontuaram que os equipamentos utilizados nos sistemas de ar condicionado VRF podem se dividir em Resfriadores de Líquido por Absorção (Chillers) e bombas de calor do tipo GHP (Gas Heat Pump). O primeiro funciona por expansão indireta, ou seja, o refrigerante resfria um meio intermediário, como a água, por exemplo, que, por sua vez, circula em uma serpentina que irá resfriar o ar a ser insuflado no ambiente. Já o segundo funciona tanto por expansão direta quanto indireta. Na expansão direta o refrigerante absorve o calor diretamente do ar do ambiente a ser condicionado. A rejeição do calor pode ocorrer através da condensação a ar, sem torre de resfriamento, ou a água, com torre de resfriamento.

Os equipamentos do tipo GHP se assemelham aos EHP (Eletric Heat Pump), possuindo como diferença básica a energia utilizada e o tipo de acionamento. No EHP, é um motor elétrico que aciona o compressor, enquanto que no GHP é um motor endotérmico a gás natural que realiza este trabalho mecânico.

Além da redução do consumo de energia elétrica, os sistemas de ar condicionado movidos a gás natural possibilitam a produção simultânea de água quente, o baixo nível de ruído, a aquisição de geradores de energia de menor porte, a operação com fluído refrigerante ecológico, o baixo custo de operação e manutenção em relação aos sistemas convencionais e o menor investimento em instalações elétricas.

O primeiro palestrante do evento foi o professor e diretor de Ensino e Treinamento da ASBRAV, Paulo Otto Beyer, que ressaltou a crescente utilização desta tecnologia de climatização em nível mundial, substituindo a energia elétrica. Segundo ele, isso ocorre devido a duas vantagens do sistema de gás natural.

A primeira é a desoneração do sistema elétrico, pois o uso do gás natural permite gerar menor dependência desse setor, traz reduções de custos por causa da diminuição da demanda contratada e, até mesmo, a inexistência de tarifa de horário de ponta para o gás natural

A outra característica interessante é o fato da climatização a gás natural poder ser utilizada para a produção de calor e frio, de acordo com as necessidades de aquecimento, de refrigeração ou mistas.

Mário Sérgio Almeida, da MSA Engenharia, lembrou que o uso de condicionadores de sistema de ar GHP apresenta, ainda, benefícios como a aplicação em sistemas que exijam redundância (energia elétrica e gás natural), a utilização de um gás ecológico, como é o R410A, o bom rendimento em cargas parciais, de 10% a 100% e a redução no tamanho do gerador de emergência.

Representantes dos três grandes fabricantes de ar condicionado a gás natural, Panasonic, LG e Yanmar, também se manifestaram no seminário. Daniel Fraianeli, da LG Eletronics, Maurício Iwayawa, da Yanmar Toyota e Márcio Rocha, da Panasonic, falaram sobre os produtos que suas corporações estão ofertando aos consumidores, agregando alta tecnológica para a climatização a gás natural.

Representando a Companhia de Gás de São Paulo (Comgás), Ronaldo Andreo fez um relato da atividades da empresa, que atende a mais de 1,4 milhões no estado paulista, fornecendo gás natural para residência, comércios, indústrias e veículos.

Maior distribuidora de gás natural do Brasil, a Comgás atende mais de 1,4 milhão de clientes no estado de São Paulo. Fornece gás natural para residências, comércios, indústrias e veículos, empregando recursos tecnológicos pioneiros no desenvolvimento. Desse setor.

De acordo com Ronaldo, os segmentos onde mais se percebem os benefícios da aplicação do GHP são hospitais, universidades, escritórios comerciais, órgãos públicos, clubes, academias e restaurantes. Segundo ele, são os que possuem uma grande variação de pessoas, em que a intensidade da climatização do ambiente flutua. E o GHP acompanha bem, consumindo energia proporcional à carga térmica.

Finalizando as atividades do seminário, o representante da Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul – Sulgás, Guilherme Garcez Cabral, também explanou sobre o trabalho que a empresa realiza, salientando que ela atende, hoje mais de 25 mil clientes em 37 municípios gaúchos, com uma rede de 890 quilômetros.

Ele também agradeceu a ASBRAV pela parceria na realização do seminário, que foi uma grande oportunidade de difundir, com mais amplitude, os benefícios da utilização do gás natural nos mais variados segmentos da sociedade.

Guilherme ainda traçou um rápido panorama a respeito do shale gas, encontrado em rochas impermeáveis ou de baixa permeabilidade. O shale gas encontra-se a grandes profundidades e suas formações prolongam-se por vários quilômetros de extensão. Atualmente, o maior produtor mundial de shale gas é os Estados Unidos, enquanto que na América do Sul, a Argentina possui as maiores reservas.

O aumento da produção desse gás, nos últimos anos, gerou uma queda no preço em torno de 15%, comparando-se com o ano de 2008.

Orçamento

Deixe  os seus dados que nós entramos em contato

× Posso ajudar?